domingo, 5 de junho de 2011

Empreender para trazer esperança

Obsessão por empreendedorismo. "Empreendedorismo é uma maneira de pensar e agir, obcecada por oportunidades, de natureza holística, com liderança equilibrada cujo propósito é criar e capturar valor", definiu Stephen Spinelli em sua palestra na ExpoManagement 2006.
"Empreendedores são pessoas que trazem esperança para o sonho dos outros." Dentre as várias definições apresentadas para empreendedores e empreendedorismo, esta é a preferida de Stephen Spinelli, pró-reitor e professor do Babson College, a maior e melhor escola de empreendedorismo do mundo. Consultor de importantes empresas como Intel, IBM, Fidelity Investments e Allied Domecq, o palestrante apresentou a palestra O Empreendedor como Executivo:Agora mais do que nunca no terceiro dia da ExpoManagement 2006, evento promovido pela HSM.
De sua experiência como empreendedor, iniciada em 1978, com pouco mais de 20 anos de idade e apenas um ano depois de concluir a universidade, Stephen Spinelli tirou quatro lições. "Ser inocente pode ajudar ao iniciar como um empreendedor. A segunda lição que aprendi é que a demanda de oportunidade impulsiona o negócio. A terceira lição em empreendedorismo é que você precisa pensar grande. E a quarta lição é que se você pensar grande e tiver ousadia, o dinheiro vai aparecer", ensinou.

Obcecado pela oportunidade - Para sintetizar, o palestrante apresentou a definição que mais se aproxima de sua visão do ator de empreender: "É uma maneira de pensar e agir, obcecada por oportunidades, de natureza holística, com liderança equilibrada cujo propósito é criar e capturar valor".
Neste sentido, o empreendedor tem de abraçar esta definição como se fosse um verdadeiro estilo de vida. "Uma vez me disseram que eu sou doente por empreender. Eu penso e atuo em torno da oportunidade. Eu sou totalmente envolvido, obcecado, doente quando surge a oportunidade. Porque a minha função é capturar e agregar valor", afirmou.

Educação empreendedora – Segundo Stephen Spinelli, apontar os Estados Unidos como paradigma de empreendedorismo é uma visão até certo ponto equivocada. "Fizemos pesquisas e descobrimos que os Estados Unidos são um pouquinho melhores empreendedores do que os países medianos (em empreendedorismo), como o Brasil. A diferença é que lá eles respiram empresas de alto impacto", explicou.
Para o processo empreendedor ser colocado em prática pelos países, é necessário um sistema estruturado. "Nos Estados Unidos, o empreendedor, com poucos documentos, abre um negócio em 24 horas. Quando os governos colocam muitos obstáculos, impedem este processo empreendedor", ressaltou.
Outra diferença fundamental é que nos EUA prevalece um espírito empreendedor nas pessoas, que, inclusive, é cultivado pelo sistema. "Doze em cada 100 americanos estão engajados em abrir um negócio ou em liderar um grande projeto em alguma empresa. A educação empreendedora se tornou peça-chave para o empreendedorismo nos Estados Unidos. É fundamental o apoio à pesquisa e à educação. Por que as escolas não ensinam este espírito empreendedor?", questionou. Segundo o palestrante, apenas nos EUA existem mais de 500 centros de empreendedorismo.

Pergunta necessária – De acordo com Stephen Spinelli, todo empreendedor tem de se fazer uma pergunta: O que é valor e para quem (é valor)? "Você precisa atender uma necessidade quando for empreender. Tem um ditado que diz: ‘Se você quer pegar algum peixe, ouça o som do rio. Fique atento ao mercado para descobrir as oportunidades", ressaltou.
Na hora de empreender, a criatividade também tem um peso fundamental para se obter sucesso. Segundo o palestrante, grande parte do capital de investimento flui para as grandes idéias. "Você pode crescer quase que para sempre se você for criativo. Há mais dinheiro procurando expansão do que qualquer outro tipo de investimento", garantiu.
Conforme o palestrante, as empresas podem ser divididas em três tipos, de acordo com o foco – local, regional ou internacional – que adotam: as denominadas estilo de vida, de fundação e de alto impacto, respectivamente. "A diferença entre estes estilos está no empreendedorismo de quem fundou a empresa", justificou.
Antes de finalizar, Stephen Spinelli deixou uma lição de casa para os participantes do ExpoManagement 2006: "Quando voltarem para suas empresas, perguntem aos seus funcionários quais as três maiores oportunidades de negócio para a sua empresa. Vocês precisam estar ligados na propensão noticiada para formular uma imagem do futuro", encerrou.

HSM Online08/11/2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário