sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Atitude!

O mercado de trabalho, pragmaticamente, tem considerado a maneira como os profissionais reagem a determinadas situações, em especial àquelas que exercem pressão e exigem decisão e determinação. Dizem os religiosos que essa etapa da nossa trajetória de existência nos foi colocada pelo Poderoso a fim de testar e identificar a nossa capacidade de crescer espiritualmente. Independentemente de haver verdade nisso, o fato é que a nossa vida é feita de motivos e motivações.

Os motivos de nossa estada nesta vida são ainda desconhecidos. Certamente temos uma missão a cumprir, mas pouquíssimos são conscientes disso. Quanto às motivações, todos têm a condição de identificar aquelas que nos faz ir para frente. Muitos ajustam bem a motivação com resultado e muitos outros não conseguem acertar nem o primeiro passo.

Em diversos casos, devemos ter a clareza de que nada vem fácil e de que tudo deve ser encarado como o resultado de muito esforço, com diversas quedas ao longo do caminho e que a diferença entre um vencedor e um perdedor está exatamente na capacidade de levantar, tirar a poeira e dar a volta por cima.

Abraham Lincoln é um nome que serve muito bem à ilustração do tema. Como a história nos mostra, Lincoln foi presidente dos Estados Unidos em 1860. Não iremos aqui mostrar como ele fez para tornar seu sonho realidade, mas identificar que toda meta tem um preço e, certamente, recheada de dificuldades e tombos pelo caminho. O ponto é: qual a sua capacidade para continuar a avançar?

Embora sua biografia seja muito conhecida, vale a pena recordar que Lincoln trabalhou como balseiro, carteiro, almoxarife, fiscal e lenhador antes de se tornar advogado. Segundo Justin Herald em seu livro Atitude (Ed. Fundamento), Lincoln é um caso clássico de alguém que teve a coragem de fazer as coisas acontecerem. Ele, como os incontáveis casos de sucesso pessoal e profissional, também falhou, mas não tinha medo de fracassar e mantinha o olhar fixo em seu sonho. Mantinha o foco.

Lincoln falhou 11 vezes em importantes empreendimentos profissionais e pessoais que realizou desde 1831, para, finalmente, em 1860 conseguir ser eleito o décimo sexto e, provavelmente, o mais respeitado presidente da história americana. Para chegar aonde chegou, Lincoln caiu bastante, mas teve forças e determinação para continuar.

Fique certo de uma coisa, ninguém se sentirá obrigado a pagar suas contas ou assumir seus compromissos. O que é responsabilidade sua, assuma, o que é do outro ficará por conta dele. Uma diferença fundamental entre os que empacam e os que seguem em frente é a postura em relação às dificuldades da vida. Para os primeiros, as dificuldades se apresentam como insuportáveis, enquanto para estes últimos se apresentam como naturais.

Não há como avançar quando se espera que os outros compreendam a sua situação. Para quem viu Pelé jogar deve lembrar-se de algumas passagens em sua vida futebolística. Desde os 17 anos, Pelé já se destacava mundialmente e por isso mesmo, cada vez mais, enfrentou uma marcação implacável dos zagueiros. Muitos eram violentos, mas não me lembro de ouvi-lo reclamar disso, nem mesmo quando jogava mal. Ele sabia que era a realidade de seu caminho e nunca assumiu uma posição de “coitadinho de mim”. Sempre avançou para melhor, apesar das dificuldades, que não foram poucas. Talvez por isso tenha sido e continue a ser, insuperável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário