quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Características que fazem a diferença

O profissional competente, não é aquele que faz tudo direitinho, mas aquele que se permite errar e arriscar, que joga munido de conhecimentos e boa dose de intuição
Por Roberto Shinyashiki

Se antes era difícil encontrar estabilidade no mercado de trabalho, hoje, ficou ainda mais complicado remar em águas calmas. Apesar disso, não adianta ficar reclamando e achar que de agora em diante está tudo perdido. Não, a competência de um profissional é medida, principalmente, em momentos de instabilidade, é a sua capacidade de atravessar marés turbulentas que fará de você, a mina de ouro das empresas.
Mais do que nunca, a criatividade tornou-se imprescindível, numa situação em que a recessão parece inevitável. Ser criativo não é somente ter boas idéias, é sim, executá-las com eficácia, usar a intuição, desenvolver a visão de negócios e mais do nunca, correr riscos. Quem não corre riscos permanece estagnado, acuado e sem viço.
Você pode perguntar: Mas, Roberto, criatividade é um conceito tão subjetivo? Sim, ele é. Mas é, justamente, essa característica que faz da criatividade tão especial. Por quê? Porque ela agrega valor, porque, a princípio, ela não tem regras, é livre.
Estimular a criatividade é fundamental, num mundo em que os produtos e os serviços são muito parecidos e os recursos escassos. Simplificar processos, aprimorar sistemas, surpreender o consumidor e superar suas próprias expectativas são, hoje, pilares da gestão de negócios.
Um profissional competente, não é aquele que faz tudo direitinho, mas aquele que se permite errar, que permite arriscar, que joga munido de conhecimentos e boa dose de intuição. Sair do comodismo é fundamental. Por essa razão, buscar a experiência e ajuda do colega ao lado, não é feio, mas sim, uma forma produtiva de agregar valor à sua organização. Mais importante que vestir a camisa da empresa é vestir a sua camisa, obter as rédeas de sua carreira e construir ambientes propícios ao florescimento de sua porção criativa.

Por favor, tire de sua cabeça a palavra não. “Não consigo”, “Não vai dar certo”, “Não vai acontecer nada”, “Não vou sobreviver”. Hoje temos que criar e recriar. Sim, a cada vez menos empregos, mas os campeões vão ter sempre o seu lugar, porque sabem reinventar suas carreiras, encontram novas maneiras de atuar, não ficam nos bastidores roendo as unhas, passam isso sim, a atuar como os atores principais da peça da vida. Descobrindo nas adversidades, novos caminhos, quebrando os seus próprios paradigmas e, principalmente, conscientes de que o erro é natural e parte integrante do processo de crescimento e aprimoramento.
Dicas para desenvolver sua criatividade:
  • Risque a palavra não do seu vocabulário;
  • Não julgue logo de início uma ideia que você teve;
  • Converse com outras pessoas. Divida experiências;
  • Goste de trabalhar em equipe;
  • Se você é um líder dentro da empresa, propicie criatividade;
  • Não tenha medo de sugerir mudanças ao chefe;
  • Não obedeça: desenvolva e execute;
  • Não pense somente no seu reconhecimento, pense no reconhecimento de todos e de sua carreira;
  • Goste de ajudar os outros a crescer também;
  • Não tenha medo de errar, arrisque.
Roberto Shinyashiki é psiquiatra, escritor e conferencista – www.shinyashiki.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário